Notícias

Corregedor expõe metas e ouve servidores de forma virtual

15/01/2021

A Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ) do Poder Judiciário de Mato Grosso deu início a uma série de reuniões virtuais com servidores e magistrados, para alinhamento dos trabalhos a serem realizados no ciclo 2021/2022, com o objetivo de melhorar os serviços ofertados aos jurisdicionados. A Corregedoria é responsável por mais de 90% dos processos em trâmite no Judiciário Estadual, via Primeiro Grau. “Nosso objetivo maior é este. Dar celeridade. Para atingi-lo é crucial a organização e ouvir todos os envolvidos nos trabalhos para sanarmos dificuldades e reforçarmos aquilo que vem dando certo”, disse o corregedor-geral da Justiça, desembargador José Zuquim Nogueira.

Ele também está divulgando o Plano de 100 dias, que envolve as principais ações para o biênio 2021/2022. A ferramenta virtual para as reuniões foi disponibilizada pela Administração do Poder Judiciário (PJ) e tem sido fundamental para que o Poder continue avançando neste período de pandemia. Entre as principais ações da CGJ estão: “definir estratégias para sustentação dos resultados obtidos pelo PJMT, a efetiva implantação do PJE Cor, transição dos cartórios extrajudiciais para os novos delegatários, definição do calendário e temas para audiências públicas, já que queremos a sociedade mais próxima para construir nossa gestão”, pontuou o corregedor durante reunião com servidores e magistrados da CGJ.

Na oportunidade a equipe de servidores conheceu os novos juízes auxiliares, suas equipes e pastas de atuação. O juiz João Thiago Guerra anotou: “Tivemos mudanças pontuais nas equipes da CGJ e temos um time comprometido com a melhoria dos processos de trabalho. É evidente que vem acontecendo ao longo dos anos um avanço. Como o senhor já mencionou desembargador, somos vocacionados para o serviço, todos têm condições de contribuir muito. Queremos avançar nesta contínua melhoria e aprimoramento”. O magistrado ainda destacou o potencial da Inteligência Coletiva. “Temos colaboradores que conhecem muito do serviço. Temos que maximizar isso e resolver os problemas tradicionais. Juntos, somos mais inteligentes, produtivos e com maior capacidade de entrega, mas só funciona se estivermos unidos. Somos a Corregedoria-Geral da Justiça. Peço encarecidamente que cada um tenha uma atitude para o aprendizado, para ouvir e também exercer a voz ativa. Vamos criar um ambiente onde as sugestões circulem, vamos compartilhar e realizar. O desembargador Zuquim é um homem paciencioso e ótimo ouvinte. Tenhamos ele como exemplo para fazer nosso melhor”, destacou o juiz, que entre outras atribuições, supervisionará as atividades da área de Tecnologia da Corregedoria.

Após o juiz João Thiago, se manifestaram a juíza Christiane da Costa Marques Neves (entre as atribuições estão Adoção e Violência Doméstica) e os juízes Eduardo Calmon de Almeida Cezar (serviços extrajudiciais) e Emerson Luis Pereira Cajango (gestor de metas). Na sequência a assessora jurídica, Renatta Tirapele e o coordenador da CGJ, Flávio Paiva Pinto, também se pronunciaram. “Temos diversas atribuições e queremos melhorar nossos serviços sempre. Um demonstrativo de que estamos melhorando é conquistarmos os selos do CNJ, que identificam a excelência dos serviços. Queremos o Diamante”, disse o coordenador se referindo aos selos, distribuídos pelo Conselho Nacional de Justiça.

Servidores também foram ouvidos. Ao todo, 91 participaram da reunião virtual. Muitos agradeceram a oportunidade e se colocaram à disposição da gestão. O corregedor realizará outras reuniões de alinhamento e quer ouvir cada peça dessa enorme engrenagem judicial. A partir do próximo dia 25, os juízes dos 11 polos de Mato Grosso participarão de reuniões virtuais. “Será uma conversa franca. Queremos ouvi-los e também que nos ouçam para sabermos onde podemos chegar”, concluiu o corregedor.

Ranniery Queiroz

Assessoria de imprensa CGJ-TJMT