Notícias

Encoge: Corregedora de MT se despede e enaltece a amizade construída

22/10/2018

“Sou feita de retalhos. Pedacinhos coloridos de cada vida que passa pela minha e que vou costurando na alma. Nem sempre bonitos, nem sempre felizes, mas me acrescentam e me fazem ser quem eu sou. Em cada encontro, em cada contato, vou ficando maior… Em cada retalho, uma vida, uma lição, um carinho, uma saudade… Que me tornam mais pessoa, mais humana, mais completa”, declamou a corregedora-geral da Justiça de Mato Grosso, desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, no encerramento da 79ª edição do Encontro do Colégio Permanente de Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (Encoge), dia 20 de outubro, em Natal (RN). 

A desembargadora recitou o poema ‘Sou Feita de Retalhos’, de autoria da paulista Cris Pizziment, para se despedir dos colegas em sua sexta e última participação no Encoge. Corregedora durante o biênio 2017/2018, Maria Aparecida Ribeiro deixa o cargo no fim de dezembro, bastante satisfeita pelo trabalho realizado, pelo conhecimento compartilhado e pelos laços formados. “Obrigada a cada um de vocês, que fazem parte da minha vida e que me permitem engrandecer minha história com os retalhos deixados em mim. Que eu também possa deixar pedacinhos de mim pelos caminhos e que eles possam ser parte das suas histórias”, entoou. Segundo a magistrada, o texto foi escolhido por expressar o sentimento conjunto naquele momento. 

Temas abordados – O 79º Encoge ocorreu de 18 a 20 de outubro, com o objetivo de fortalecer o trabalho do Poder Judiciário e promover a troca de experiências adotadas em cada estado, bem como melhorar a prestação do serviço ao cidadão. Os assuntos apresentados foram: "Nomeação de interinos para ocupação de Cartórios Extrajudiciais vagos: previsão legal, requisitos e aspectos polêmicos"; "Sistema de Correição Eletrônica dos Cartórios Extrajudiciais"; "Combate ao Crime Organizado: estudo e planejamento de medidas efetivas e aceleração de respostas para situação – Possibilidade de criação de grupo de acompanhamento nas Corregedorias" e "Obrigatoriedade da realização de audiências de custódia X Dificuldades estruturais para o cumprimento no prazo máximo de 24horas". 

Carta de Natal – O encontro terminou com a publicação da Carta de Natal (leia o documento na íntegra aqui), elaborada pelo Colégio Permanente de Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (CCOGE), que trouxe como algumas das propostas: 

  • INCENTIVAR, no âmbito das Corregedorias Gerais de Justiça Estaduais e do Distrito Federal, a implantação do sistema de gestão virtual de unidades jurisdicionais.
  • ESTIMULAR a realização anual de Encontros Estaduais de Magistrados, Notários e Registradores, visando a constante melhoria dos serviços públicos extrajudiciais.
  • FOMENTAR, no âmbito dos Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal, a criação de Unidades regionais de execução penal com a finalidade de especialização, padronização, racionalização e agilização das execuções criminais em ambiente digital, com utilização de novas tecnologias de comunicação, respeitadas as peculiaridades locais.
  • FOMENTAR a orientação e o acompanhamento das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar após o deferimento de medidas protetivas, mediante programas criados pelas coordenadorias especializadas, articulados pelo Poder Judiciário com a rede de enfrentamento à violência contra a mulher e implementados por unidade judiciária competente.
  • FOMENTAR junto aos poderes públicos a criação de mecanismos necessários a tolher a atuação do crime organizado no País, inclusive com a implementação de varas especializadas.
  • IMPLEMENTAR estudos e medidas voltados ao aperfeiçoamento da gestão de cada unidade judiciária, destinados a magistrados e servidores.
  • INCENTIVAR a criação de projetos de visibilidade social para crianças e adolescentes no processo de colocação em família substituta.

Leia mais: 

MT participa do 79° encontro nacional de corregedores


Ana Luíza Anache 
Assessoria de Comunicação CGJ-MT
corregedoria.comunicacao@tjmt.jus.br
(65) 3617-3571/3777