Notícias

Homem é condenado a 21 anos de reclusão em primeiro caso de feminicídio de MT

11/10/2018

O primeiro caso de feminicídio em Mato Grosso foi registrado em 31 de maio de 2015, na comarca de São José do Rio Claro (a 315km de Cuiabá), pouco mais de 80 dias após a publicação da Lei Nº 13.104, que estabeleceu o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio e o incluiu no rol dos crimes hediondos. Segundo a denúncia do Ministério Público, Isabella Cristina Cazado de Lima foi morta com três tiros pelo então namorado Rony Robson Souza Santos. O acusado foi julgado e condenado em sessão do Tribunal do Júri a 21 anos de reclusão. 

O julgamento foi presidido pela juíza Cristhiane Trombini Puia Baggio no dia 28 de setembro. O Conselho de Sentença reconheceu que o acusado, agindo em coautoria e com intento de matar, por motivo fútil, mediante recurso que dificultou a defesa e em razão da condição de sexo feminino, matou a vítima. Preso desde outubro de 2015, por força de mandado de prisão preventiva, Rony Santos permanecerá segregado enquanto aguarda o julgamento do recurso de apelação.  

O caso – Conforme o processo código 60109 | São José do Rio Claro, Isabella e Rony eram namorados por um período de aproximadamente um ano. No dia dos fatos, eles saíram de uma lanchonete e seguiram no carro dele. Ao passarem por um quebra molas, testemunhas viram que havia uma terceira pessoa no interior do veículo, identificado como Fernando. Após uma discussão irrelevante, os dois “efetuaram pelo menos três disparos de arma de fogo, não oportunizando, desta forma, a defesa da vítima”.

A denúncia foi recebida no Judiciário em agosto de 2015 e, em janeiro de 2016, Rony Robson Souza Santos foi pronunciado como incurso em homicídio qualificado. 


Leia também:

Cuiabá: casos polêmicos irão a júri em outubro


Ana Luíza Anache 
Assessoria de Comunicação CGJ-MT
corregedoria.comunicacao@tjmt.jus.br
(65) 3617-3571/3777