Notícias

Corregedoria mobiliza comarcas pela ressocialização

30/08/2007

 

Corregedoria mobiliza comarcas pela ressocialização

 

             As ações voltadas para a ressocialização nas comarcas do interior foram sugeridas pela Corregedoria Geral da Justiça de Mato Grosso. O corregedor geral, desembargador Orlando de Almeida Perri, enviou um documento aos diretores dos Foros para informar a programação na capital e sugeriu aos magistrados que mobilizassem as comunidades locais durante toda a I semana “Reconstruir Cidadania” (de 26 a 31 de agosto).

 

No interior, a proposta era justamente envolver os juízes, os servidores, autoridades municipais e a população em geral em projetos voltados para a reinserção social. Grande parte da população não conhece a realidade das cadeias públicas da cidade onde mora. E a mobilização do Poder Judiciário nas comarcas, em uma mesma semana, é mais uma forma de alertar para a importância do envolvimento da sociedade em um assunto tão polêmico e pouco debatido.

 

Em Querência, por exemplo, na segunda-feira (27 de agosto) foi criado o Conselho da Comunidade, com integrantes da sociedade organizada e instituições, para atuar junto aos réus presos. De acordo com o juiz Anderson Cadiotto, eles vão providenciar cursos de qualificação profissional e outras atividades. Hoje o município tem uma grande demanda de mão-de-obra no setor agrícola.

 

            Em Mirassol d’Oeste haverá uma série de atividades até a próxima sexta-feira. Mas, o juiz Émerson Luiz Pereira Cajango já comemora os frutos da atuação do poder judiciário na comarca. Há quatro anos são realizados trabalhos de ressocialização na cadeia pública. Desde então, não houve mais rebeliões. Alguns reeducandos do regime semi-aberto trabalham num frigorífico da cidade, outros prestam serviços junto à comunidade como reforma de escolas e praças, limpeza de pátios públicos e na fábrica de manilha.

 

Em Barra do Bugres a semana começou com exposição de artesanatos produzidos pelos reeducandos na Praça Ângelo Masson, no centro da cidade. A juíza Ana Paula da Veiga Carlota Miranda promoveu uma campanha de arrecadação de livros e revistas para o projeto de alfabetização dentro do sistema prisional.

 

Em Primavera do Leste, as ações serão na próxima sexta-feira (31 de agosto). O juiz Luis Otávio Pereira Marques, vai fazer um levantamento do número de dependentes químicos para encaminhar ao Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) do município. Vai ser criada também uma biblioteca para os reeducandos e um projeto de alfabetização aos que não sabem ler e nem escrever.

 

A juíza da comarca de Sorriso, Débora Caldas, realizou no início desta semana a inauguração das novas dependências da oficina de artesanato e o lançamento oficial da construção da “Ala Renascer”, para abrigar reeducandos do projeto ‘Drogas, problema seu, meu, nosso’. Foram oferecidos também cortes de cabelo, mini-cursos de culinária para as reeducandas e palestras.

 

Em Rondonópolis, uma das estratégias montadas no Fórum foram palestras ministradas pelos próprios reeducandos da Penitenciária da Mata Grande e da Cadeia Pública. De acordo com o juiz da Vara de Execuções Penais da Comarca, Edson Pereira da Costa, a intenção era envolver a sociedade no projeto. Um dos reeducandos sugeriu um slogan da campanha no município: “Ressocializar e Reconstruir: Ajude-me a Recomeçar”.

 

Em Santo Antônio do Leverger os reeducandos participaram de um grande torneio de futebol como forma de confraternização na última terça-feira (28 de agosto). O juiz Lídio Modesto Filho explicou que o evento é resultado da ação conjunta entre o Poder Judiciário e o Presídio Militar de Santo Antônio.

 

A programação da I semana “Reconstruir Cidadania’ é uma parceria entre o Poder Judiciário e o Governo do Estado. Na capital as juízas das varas criminais de Várzea Grande Selma Rosane Arruda e Maria Erotides Kneip Baranjak realizam palestras em escolas e faculdades de Cuiabá e Várzea Grande.

 

E hoje (30 de agosto) às 8 horas da manhã, foi aberto o I Seminário Estadual de Ressocialização, na sede da Fiemtec, com a participação do corregedor geral da Justiça, desembargador Orlando de Almeida Perri, magistrados e integrantes da OAB/MT, Ministério Público, Defensoria Pública, Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública e outros.  

 

 

 

Lídice Lannes

(65) 3617-3393/3394