Notícias

"Minha Casa" cria ambiente familiar para crianças e adolescentes

06/09/2007

"Minha Casa" cria ambiente familiar para crianças e adolescentes

 

 

 

Nesta quinta-feira (6 de setembro), representantes da Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico de Mato Grosso (Fundetec/MT) apresentaram ao corregedor-geral da Justiça, desembargador Orlando Perri, a planta do projeto arquitetônico doada pela fundação ao Poder Judiciário Mato-grossense para o projeto "Minha Casa", iniciativa desenvolvida pela Corregedoria. Essa é uma das etapas iniciais do projeto, que visa promover e implantar nos municípios do Estado um novo programa que visa abrigar crianças e adolescentes em situação de risco.

 

"Estou bastante satisfeito com esse projeto, que vai servir de padrão para todos os municípios do interior. Agora, com o projeto arquitetônico em mãos, vou começar a procurar parceiros para levar adiante essa iniciativa. Hoje temos carência de abrigos e os atuais não respondem às necessidades das crianças", assinala o magistrado. O desembargador, que já esteve em Curitiba (PR) para visitar um exemplo semelhante de sucesso desenvolvido naquela cidade, pretende buscar parcerias junto aos poderes executivos municipal e federal, organizações não-governamentais (ONGs), entre outros.

 

Na reunião, o diretor-presidente da Fundetec, Ivo da Silva, destacou a importância da contribuição para este projeto social. "Nós educadores temos que doar o que podemos para contribuir para um mundo melhor. Viemos somar com o Tribunal de Justiça nesse belíssimo projeto com aquilo que temos de potencialidade. Temos cerca de 90 mestres e doutores, e não foi difícil encontrar profissionais que pudessem doar um pouco de si para essas crianças. Essa iniciativa é o mínimo que poderíamos fazer", diz o professor.

 

Com conceito diferenciado, a casa foi desenhada nos moldes de uma habitação tradicional, com sala, cozinha, quarto para os pais e quartos separados para as crianças. De acordo com o arquiteto responsável, Geraldo Almeida, a casa possui proposta voltada para atender as necessidades específicas de seu público-alvo, de maneira a propiciar um crescimento saudável. "É um local com toda uma filosofia para dar melhores condições à sua clientela", explica. Cada casa terá capacidade para abrigar confortavelmente até oito crianças, além do pai e da mãe social. Para a elaboração do projeto arquitetônico foram levados em consideração diversos aspectos, como clima local, ventilação, iluminação etc.

 

As casas vão funcionar com diversos perfis, atendendo sempre às especificidades da comunidade onde ela será instalada. Em municípios onde não há instituição que funcione como casa transitória destinada a abrigar crianças em situação de risco, o projeto Minha Casa poderá atender a essa necessidade. Por outro lado, em outras comarcas, o projeto poderá atender a crianças que aguardam pelo processo de adoção. "Queremos imitar um verdadeiro lar. Queremos que cada criança tenha um pai e uma mãe, que recebam afeto, carinho, atenção. Temos que nos aproximar da realidade de um lar o tanto quanto possível", lembra o corregedor-geral da Justiça, desembargador Orlando Perri.

 

 

MINHA CASA - A abrigagem de crianças e adolescentes é uma medida de proteção prevista no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), adotada quando o vínculo familiar encontra-se rompido ou fragilizado e a criança/adolescente em situação de risco, a ponto de ser necessário o afastamento do convívio familiar. A criação da modalidade "Minha Casa" surge como alternativa complementar ao abrigo institucional, buscando proporcionar às crianças/adolescentes um modelo de abrigagem que se aproxima do modelo familiar e doméstico. A meta inicial é que seja instalada uma "casa lar" em Cuiabá e posteriormente uma unidade em cada comarca pólo do Estado (11 casas ao todo).

 

            Os menores abrigados nesse projeto receberão conceitos de moradia, organização, limpeza, disciplina, educação etc. Nesse ambiente, cada criança terá condição de desenvolver sua auto-estima, respeito, cuidando de si mesmo, melhorando suas condições pessoais e também sociais.

 

Lígia Tiemi Saito

(65) 3617-3394

06/09/2007 16:50- MINHA CASA

Notícias | Voltar