Notícias

Parceria leva professora para ministrar aulas na cadeia

11/09/2007

 

Parceria leva professora para ministrar aulas na cadeia

 

A partir de hoje (11 de setembro), os reeducandos de Diamantino terão nova chance para concluir seus estudos. O juiz corregedor da Cadeia Pública, Newton Franco de Godoy, lança o início das aulas de Educação de Jovens e Adultos (EJA), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.

 

Nesse primeiro momento, 15 reeducandos participarão das aulas que serão ministradas dentro da própria cadeia. Uma professora foi contratada especialmente para ministrar o curso. Conforme os dados da Cadeia Pública, dos 15 alunos, três são analfabetos e os demais ainda não concluíram a oitava série.

 

O lançamento desse projeto faz parte das comemorações da Semana da Ressocialização, que prevê a realização de uma série de atividades em Diamantino. Conforme o juiz, o grande objetivo do evento no município é mostrar à população que as "ações de ressocialização auxiliam na conseqüente recuperação do detento através de sua educação, capacitação profissional e da assistência sistemática à sua condição psicológica e social".

 

Para o magistrado a educação e o trabalho são as principais ferramentas para a ressocialização e a redução da reincidência criminal. Por isso, segundo ele, existe a necessidade de que toda a sociedade esteja engajada na busca da recuperação daqueles que estão inseridos no sistema prisional. "Esses homens que hoje estão presos serão inseridos novamente na sociedade, por isso, teremos que trabalhar a reintegração social", destacou o magistrado.

 

Durante todo o dia, serão ministradas palestras sobre ressocialização tanto para os reeducandos como para a população. Os reeducandos irão assistir também a uma palestra sobre as doenças sexualmente transmissíveis.

 

Atualmente 12 reeducandos já participam de uma oficina de artesanato. Eles fabricam produtos artesanais como vasos, porta-retratos, porta-jóias, sabão e sabonetes, além de outros produtos que tem como matéria-prima o papel e a madeira. Tudo que é fabricado é comercializado pelos familiares dos reeducandos.

 

Outros quatro reeducandos também trabalham na manutenção e limpeza do Fórum do município e da Cadeia Pública. Todos têm a oportunidade da remição da pena. Isto é, a cada três dias trabalhados, eles podem abater um dia da pena.

 

Para a diretora da Cadeia Pública, Adriana Silva Duarte Quintero, o trabalho de ressocialização garante a mudança de comportamento e também de consciência da sociedade sobre o apenado. "Com o trabalho que eles desenvolvem, seja dentro da cadeia ou nas atividades externas, eles tem a oportunidade de sair preparados para começar a vida de cabeça erguida depois que deixarem o sistema prisional", destacou a diretora.

 

            O evento de ressocialização a ser realizado em Diamantino faz parte de uma série de atividades que estão sendo desencadeadas em todo o estado pelo Poder Judiciário, em parceria com o Poder Executivo.

 

Laíce Souza

(65) 6317-3393