CORREGEDORIA

Composição

Corregedora-Geral da Justiça:
  • Desa. Maria Aparecida Ribeiro

Juízes Auxiliares da Corregedoria:
  • Dr. Aristeu Dias Batista Vilella
  • Dra. Eulice Jaqueline da Costa Silva Cherulli
  • Dra. Ana Cristina Silva Mendes

 

As atividades da Corregedoria-Geral da Justiça estão distribuídas em quatro departamentos que integram a Coordenadoria da Corregedoria. A Comissão Estadual Judiciária de Adoção e a Coordenadoria da Infância e Juventude também estão vinculadas à Corregedoria.
 

Departamento Judiciário Administrativo (DJA)

Setor responsável pelo recebimento, autuação e processamento de feitos administrativos gerais e reservados.

Departamento de Orientação e Fiscalização (DOF)

Departamento que recebe e processa os dados estatísticos da Justiça de 1º Grau. O DOF possui também estrutura voltada para a fiscalização do foro judicial e extrajudicial.

Departamento de Apoio aos Juizados Especiais (DAJE)

Setor administrativo de coordenação, organização, acompanhamento, apoio e orientação aos Juizados Especiais Cíveis e Criminais, às Varas Judiciais com competência para processamento e julgamento dos feitos relativos à Lei 9.099/95, aos Juizados Volantes, Itinerantes e aos Postos de Atendimento instalados nos municípios e distritos que não sejam sedes de comarcas.

Departamento de Aprimoramento da 1ª Instância (DAPI)

Departamento responsável por desenvolver, apresentar e efetivar projetos que visam o aprimoramento e a busca da excelência na prestação jurisdicional da Primeira Instância.

Comissão Estadual Judiciária de Adoção (CEJA)

Também está vinculada à Corregedoria-Geral da Justiça, sendo o Corregedor seu presidente. A CEJA organiza e mantém atualizado o Cadastro Geral Unificado de pretendentes à adoção, indica a esses pretendentes as crianças e adolescentes aptos à adoção e promove campanhas de estímulo à adoção.

Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ)

Tem a função de colaborar no aprimoramento da atividade jurisdicional na área da infância e juventude do Estado de Mato Grosso, com foco na assessoria aos magistrados e fortalecimento das relações intra e extra-institucional, visando ao aprimoramento dos serviços para a garantia do direito à proteção integral, com prioridade absoluta à criança e ao adolescente.